terça-feira, 23 de outubro de 2012

O APOCALIPSE ZUMBI ESTÁ AÍ!

CARA, é tanta gente mesquinha e sacana andando por aí e estimulando outras pessoas a moldarem visões pessimistas de mundo, que cheguei a uma teoria: o verdadeiro apocalipse zumbi já existe. Não com zumbis que voltaram dos mortos e que comem carne humana, mas zumbis-ainda-vivos que perderam todo o senso de humanidade que lhe era característico e que se alimentam de outra coisa: do que de bom ainda nos resta. 

O pior é: eles cospem tudo depois.

O desafio master nesse apocalipse zumbi mais soft não é arrancar cabeças à machadadas, mas distinguir um ser humano “do bem” (que enxerga além do próprio nariz, que ainda acredita em sua raça e que dá a mínima para o bem-estar do próximo) do zumbi com cara de mocinho (o humanista fajuto, com casca forçadamente empática, que defende causas, mas que, no fundo - ou não tão fundo assim - é mais um porquinho egoísta).


E sim, maniqueísmos à parte, lidar com zumbis-vivos é tarefa das mais penosas e excruciantes. Principalmente porque estamos rodeados deles. E eles são orgulhosos pra caralho. Por isso, para apaziguar esse convívio, é altamente recomendável recrutar (tornar próximo) aquelas pessoas que ainda guardam em si um pouquinho de [legítima] humanidade e que, mesmo com gestos pequenos, porém significativos, nos ajudam a desconstruir e reconstruir nossa visão de mundo. Ainda que por alguns instantes. 

(textículo levemente inspirado em Misfits e The Walking Dead e altamente inspirado em motherfuckers da real life)